Memories and prevalence of posttraumatic stress disorder in intensive care units



O artigo “Memories and Prevalence of Posttraumatic Stress Disorder in Intensive Care Units” (Rovatti et al., 2012) foi resultado da dissertação de Mestrado de Karla Rovatti sob orientação minha e do prof. Maycoln Teodoro. Buscou avaliar a prevalência de indicadores de Transtorno de Estresse Pós-Traumático (TEPT) em pacientes que foram internados em UTI seis meses após a alta hospitalar, e examinou a relação entre TEPT e recordações mnêmicas. Dados de 41 pessoas que haviam estado na UTI por diferentes motivos mostrou que essa experiência é potencialmente traumática: 24,4% deles tinham indicadores altos de sofrimento pós-traumático. Os preditores de TEPT foram gênero feminino e memórias afetivas (memórias dos sentimentos de medo, pânico, ansiedade, dor, de estar na UTI).
Os dados dão importantes informações sobre os fatores de risco para TEPT que os profissionais devem estar atentos para avaliá-los adequadamente durante a internação na UTI e intervir. Leia na íntegrae veja o vídeo que fiz a respeito:

Rovatti, K. B., Teodoro, M., & de Castro, E. K. (2012). Memories and prevalence of posttraumatic stress disorder in intensive care units. Psicologia: Reflexao e Critica, 25(3). https://doi.org/10.1590/S0102-79722012000300009

#psicologiadasaude #psicologia #psicologiahospitalar #pesquisaempsicologia #psicologiabaseadaemevidencias #genero #psicologiaclinica #tept #stress #uti #memorias #modelobiopsicossocial #medicinadocomportamento #saude #saudepsicologica

Source: Youtube